Facebook x Privacidade

Segundo informações do USA today o Facebook está sendo acusado de rastrear cerca de 800 milhões de usúarios da internet. Executivos da rede social admitiram utlizar um log in contínuo das páginas na web que os usúarios do Facebook acessaram, além de manter informações de seu membros a empresa também guarda informações de não membros.

 Para guardar estas informações, segundo a matéria original o Facebook utiliza tecnologia de cockies de rastreamento que outras empresas como google, adobe, microsoft também utilizam. Os diretores da empresa explicaram que os dados são guardados para melhor o uso das ferramentas do Facebook como o botão curtir, porêm tal prática está causando preucupação no congresso americano que espera uma resposta formal da empresa até o dia 1/12. 

Leia a notícia original: IDGNOW

A justiça é sempre a melhor solução?

O Direito existe para regular o convívio humano. O que seria de nós em uma sociedade “Olho por olho e dente por dente”, já foi assim, mas o ser humano evoluiu.

Estamos longe de atingir o convívio perfeito, se assim o fosse, as leis não mais seriam necessárias, eu particularmente acredito que sempre precisaremos dela.

Enfim, temos regras para tudo e mesmo assim, muitos deixam de segui-las, o fato é que existem consequências quando infringimos tais regras e na vida, assim como nas empresas, é uma questão de gestão de riscos, ou seja, você sabe que é proibido e se o fizer pode ser pego, cabe a você decidir se vai correr o risco ou não.

Assim ocorre com as situações da internet, por ter em sua essência um caráter democrático e livre, as pessoas tem a impressão errada de que pode fazer tudo quando está navegando. Pessoas criam avatares, ou codinomes em sites de relacionamento, e agem como se estivessem em uma “terra sem lei”, mas esquecem ou nunca aprenderam que a lei abrange nossa conduta, independente do meio.

Neste cenário, por exemplo, o crime de calúnia  pode ocorrer por carta escrita a mão, via rádio, tv, no meio de uma festa e/ou pela internet, entre outras possibilidade. Não importa o meio utilizado, o que se considera é o resultado e as palavras proferidas ou escritas. Difere-se no entanto, em alguns casos pelo poder de dano devido à extensão da rede web, ou seja, um jornal de bairro tem um alcance diferente do que um site visto pelo mundo todo.

Por estes e outros motivos, o trabalho educacional, envolvendo orientação e conscientização e nas empresas também capacitação, envolve não apenas adolescentes e/ou crianças, mas adultos, que muitas vezes cometem os mesmos erros, seja por ingenuidade ou por dolo eventual.

Nosso intuito é disseminar o conhecimento legal, mas também sensibilizar, para que antes de agir haja um pouco de cautela e preocupação a fim de evitar processos desnecessários ou necessários para manter a paz e muitas vezes restabelecer a dignidade do indivíduo.

Acredito que a melhor solução ainda seja a educação, a busca por um mundo melhor sempre existira e cultura demora décadas para se mudar e/ou criar. Nem sempre a justiça é o melhor caminho, trabalhamos para que não seja necessária, mas é preciso saber que toda ação causa um efeito e todo efeito uma consequência boa ou ruim e todos temos nossa parte de responsabilidade, sendo que não havendo o bom entendimento, podemos nos socorrer de remédios jurídicos clamando pelos nossos direitos.

Mas volto a dizer, recorrer ao judiciário, ainda mais quando falamos de jovens, deve ser após tentativas amigáveis para retirar conteúdos e até mesmo pedido de retratação.  Neste sentido as escolas, os professores e os pais, tem um papel importante na orientação dos jovens.

Acreditamos nesta missão e o Colégio Bandeirantes também, juntos fazemos um trabalho direto com os alunos, anualmente. Esclarecemos dúvidas e orientamos em relação às responsabilidades e suas consequências, para os pais e para o menor. Mas acima de tudo é preciso do apoio de todos, que seja uma ação em conjunto, escola, professores e pais para se alcançar o aluno, o jovem que pensa tudo saber, mas que a cada dia descobre um novo mundo.

Assim, foi conosco, e assim será com eles e cabe a nós ajudarmos no caminho dessa jornada, tão tentadora e cheia de armadilhas que podem deixar marcas eternizadas no eu de muitas pessoas.

Por Cristina Sleiman. www.cristinasleiman.com.br  /  contato@sleiman.com.br

Google vai indenizar menor difamado em comunidade do Orkut

Esta é a notícia veiculada no Portal Terra. Segundo a matéria o menor teria sofrido as ofensas quando ainda estava com 13 anos, tendo seu perfil administrado por outra pessoa em 2009 após ter sua senha utilizada por terceiros indevidamente.

O Google alegou que o menor não poderia fazer parte do site, vez que o termo de uso proibia expressamente o uso por menores.

A indenização foi estipulada em R$ 12 mil reais por danos morais.

Portanto, fica um alerta aos pais, que devem monitorar seus filhos, pois muitas vezes por vergonha o jovem não leva o problema a seus pais e sofre em silencia e quando os pais descobrem o quadro psicológico já está agravado.

Sou adepta da solução destes problemas por meio da educação e da conversa entre as famílias quando é possível descobrir o autor, mas se mesmo assim o problema persiste é preciso tomar providencias jurídicas, o que não podemos fazer é deixar o jovem exposto e sofrendo.

Cristina Sleiman – contato@sleiman.com.br

Deputado americano que se expõe na net

É impressionante como a exposição em excesso na internet afeta também os adultos, ou seja, não se trata apenas de negligencia e ações impensadas de adolescentes, mas também de homens e mulheres, executivos, políticos, médicos, etc. Não importa o grau de instrução.

As vezes quando conversamos com as pessoas, escutamos que se trata de assunto obvio, mas na pratica não é bem assim que elas agem. Acabam por se expor, enviar fotos seja com ou sem roupa, seja em posição sensual ou não.

O fato é, depois que fez, fica difícil apagar o ocorrido, quem viu dificilmente esquecerá e mesmo que se retire o conteúdo do ar, não se sabe ao certo onde ele já foi parar.

Portanto, todo cuidado é pouco. Exemplo recente foi o ocorrido com o deputado americano, conforme matéria publicada este mês no site da Exame.com.

A pressão para que ele renuncie está grande. Vamos ver como vai acabar.

Cristina Sleiman – cristina@sleiman.com.br

Você sabia que ao postar uma foto na internet pelo celular seu filho pode ser localizado?

Pois bem,

Mais um desafio da sociedade digital, como lidar com as questões de privacidade, ainda mais quando muitos usuários não sabem o perigo que estão correndo.

Vale a pena ficar atento e desabilitar certas funções.

Os celulares tipo smartphone, que permite o acesso á internet , não apenas para postar mensagens e fotos, mas também que interagem com informações das empresas, pode ajudar estranhos a descobrir sua localização. É comum, por exemplo, no Iphone, muitos aplicativos perguntam se você permite que seja ativado o localizador, ou seja, quando permitido ele envia a mensagem de onde você está fisicamente, quando isso acontece, entendo que a empresa que solicita é responsável pelas informações que coleta, no entanto quando o assunto é postagem de fotos e mensagens, independente de responsabilidade existe o perigo de exposição, não apenas em relação às crianças mas também com adultos.

No tocante a criança, pode ser alvo de pedofilia, o link abaixo mostra um exemplo comum, fotos de uma garotinha que ao ser postada pelo celular permitiu a identificação do endereço de postagem.

No caso de adultos, pode ser alvo de bandidos para assalto ou sequestro. Portanto todo cuidado é pouco. Aprenda a desabilitar o localizador. No Iphone deve-se encontrar a função de configuração geral e aí sim desabilitar localizador.

Para quem entende inglês, vale a pena conferir a matéria:

http://www.youtube.com/watch?v=N2vARzvWxwY

Cristina Sleiman

Acesso à sites pornográficos permite demissão

Assunto bem discutido também com os alunos a partir do ensino médio, para que possam refletir o impacto das ações do indivíduo na sua vida profissional.

Além disso cabe como informação a todos sobre as decisões que envolvem o uso da tecnologia. 

Ver na íntegra: http://www.conjur.com.br/2011-mar-21/acesso-site-pornografico-trabalho-permite-demissao-justa-causa

Cristina Sleiman

Segurança nas compras de final de ano 2010

Amanhã entramos no mês de novembro, ou seja, praticamente fechamos o ano e com isso iniciam-se as compras de natal.  Muitos, como eu, são adeptos às tecnologias até mesmo na hora de comprar presentes.

Nada como ver e escolher presencialmente, mas as vezes a falta de tempo não permite e a tecnologia vem a calhar.

Mas na hora de comprar online, é preciso atentar para alguns cuidados:

:. Compre apenas em sites seguros, aqueles que tem o cadeado no canto da página;

:. Dê preferencia à lojas conhecidas e que pelo menos tenham informações de sua razão social, endereço físico e CNPJ;

:. Muito cuidado com os e-mails, principalmente aqueles com megas promoções de natal;

:. Não faça a compra ( pagamento) de qualquer computador, você não sabe se ele está infectado.
Abs

Cristina Sleiman

Justiça determina que mãe pague indenização para vítima de cyberbullying

Segundo notícia veiculada pela G1, a justiça determinou que mãe pague indenização a vítima de cyberbullying. É decisão do Rio Grande do Sul e ainda cabe recurso, mas este tipo de notícia vem nos mostrar que nossas discussões estão no caminho certo, ou seja, as decisões vêm sendo cada vez mais no sentido de responsabilização não apenas dos pais, mas também dos filhos. Neste caso trata-se de ação cível responsabilizando os pais, mas é independente de um processo na Vara da infância e da juventude contra os filhos.

Link: http://g1.globo.com/vestibular-e-educacao/noticia/2010/07/justica-determina-que-mae-pague-indenizacao-vitima-de-cyberbullying.html

Cristina Sleiman/cristina@sleiman.com.br

Foi preso comerciante de 24 anos considerado um dos principais invasores de redes de dados do país.

O Rapaz invadia sistema de bancos, e em sua defesa alegou que estava invadindo o sistema a fim de vender um sistema de segurança para a empresa.

Interessante esta notícia, os motivos que levam  um hacker ou melhor um cracker a invadir qualquer sistema pode variar desde obtenção de benefícios até o simples reconhecimento.

A lei brasileira não prevê a invasão de sistemas de empresa privada como crime,  apenas se for sistema da administração pública, mas isto não impede uma ação penal.

 

Notícia: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2010/06/policia-civil-anuncia-prisao-de-hacker-em-sao-paulo.html
Cristina Sleiman

Alunos se unem para agredir professores na web

Notícia veiculada no Jornal Zero Hora, conta sobre professora que desistiu de lecionar desde que foi vítima de alunos que criaram comunidade para agredi-la.

A matéria é de Juliana Bublitz e Livia Meimes. Segundo elas, Etiene ( professora) não tem dúvidas, foi vítima do cyberbullying.

E com certeza, o cyberbullying não é apenas contra crianças e jovens, mas com adultos também, as vezes até mesmo entre colegas de trabalho. Não há idade para que ocorra.

Mas lembrando que quando se trata de adulto, não se trata mais de ato infracional, dependendo da pratica realizada pode se caracterizar como crime contra a honra ( calúnia, injúria, difamação), ameaça, etc.

Segunda a mesma reportagem, uma pesquisa recentemente divulgada pelo órgão revelou que 23,5% dos professores de instituições particulares gaúchas dizem sofrer agressões via internet, sendo que 86% delas têm alunos como autores. Com medo de acabarem na rua, muitos evitam recorrer a diretores e coordenadores pedagógicos.

Vale a pena ler a fonte na íntegra: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1&section=Geral&newsID=a2936551.xml

 

Cristina Sleiman – Direito Digital – contato@sleiman.com.br